Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Poesia e Chocolate

O Tyler Brûlé (por via sobretudo da Monocle) anda a tentar convencer-me (a mim e a todos os que a lêem) de que um novo tipo de comércio tradicional e de manufactura poderá ser instrumento essencial para o salvamento dos centros desertificados, peça do puzzle para o futuro das cidades.

A ideia é simples de aparência: lojas pequenas, com empregados dedicados e simpáticos, profundos conhecedores do seu mister, envolvendo os seus clientes com uma atenção genuína na venda e na compra. Um upgrade de um comércio tradicional envelhecido, com qualidade, longe de um mundo de centros comerciais e franchises.

Nesse contexto tem dedicado a sua atenção a ruas específicas de cidades escolhidas onde esse espírito parece permanencer ou renascer. É o caso da Lamb's Conduit Street que visitei em Dezembro - acabei a comprar um belíssimo livro de Laurie Anderson, numa loja de livros de fotografia onde o empregado era português (!). Foi prenda de natal ideal para uma amiga.

Talvez uma das próximas possa ser a Rua Cecílio de Sousa, em Lisboa, embora seja talvez cedo para isso.

No número 11 fica a Livraria Poesia Incompleta, especializada, como seria de esperar em todas as formas de lírica. O Mário, à mesa, entre inúmeros volumes, latas de Coca-Cola cheias e vazias, cinza e maço de tabaco, boas recomendações e opiniões definidas, foi um poeta em forma de empregado de loja, ou talvez o contrário. Saí de lá mais pobre e mais rico. Sobre essa poesia, falarei mais tarde.

Mais acima, no número 85, fica a loja de chocolate, cacau e café de Claudio Corallo, de que o Daniel já me tinha falado. Tem site internacional (curiosamente não em português, apesar das plantações em São Tomé e da loja em Lisboa), mas também isso é provavelmente um sinal de visão, de uma pequeníssima loja na velha Lisboa, para o mundo. Pelas mãos da simpática senhora por trás do balcão, saí de lá guloso, com chocolate a 80% de cacau.

Numa pausa de sol na manhã de sábado em Lisboa, num dia próximo de perfeito (a companhia ajudou), estes lugares e o seu comércio renovaram a minha paixão pela cidade, de onde saíram também as fotografias abaixo.