Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

R.I.P. Dave Brubeck

Eu estava a adivinhar. Acordei com Jazz na cabeça e nos ouvidos. Passei o dia a cantarolar, menear a cabeça, swingar, bebopar. Chego a casa e leio que morreu Dave Brubeck, pianista brilhante, absolutamente cool, capaz de emprestar ao improviso uma cerebralidade contagiante. Parece contraditório? Parece, mas não é. Tinha 91 anos e teve uma longa e ilustre carreira. Obrigado, Dave. Abaixo, Take Five e Blue Rondo A La Turke um favorito pessoal, La Paloma Azul (perdoem-me o ocasional mau gosto do vídeo, não é meu).

 

 

 

One Night with Blue Note

A Blue Note é provavelmente a mais lendária editora de jazz e hoje acordei jazzístico (ver os dois posts anteriores), culpa de outra label lendária (a Verve) e do seu projeto Remixed (e Unmixed) que muito me animaram este princípio de século. Já que falamos de lendas na edição de jazz, não posso deixar de desejar que a Clean Feed / Trem Azul siga caminho semelhante.

Voltando à Blue Note, descobri que em 1985, para relançar a etiqueta, foi organizado um concerto em Nova Iorque, no Town Hall que reuniu um conjunto inacreditável de nomes, incluindo Freddie HubbardJackie McLeanJimmy SmithWoody ShawWalter Davis Jr.Art BlakeyStanley TurrentineJoe HendersonMichel PetruccianiGrover Washington, Jr. e Tony Williams.

E o melhor de tudo? O concerto está integralmente abaixo para visionamento. Two hours of jazz bliss a não perder.