Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Rinko Kawauchi - Illuminance

rinko1.jpg

rinko2.jpg

rinko3.jpg

rinko4.jpg

rinko5.jpg

rinko6.jpg

rinko7.jpg

In 2001, Rinko Kawauchi published three astonishing photobooks simultaneously—Utatane, Hanabi, and Hanako—establishing herself as one of the most innovative newcomers to contemporary photography. Other notable monographs include Aila (2004), The Eyes, the Ear (2005), and Semear (2007). Now, ten years after her precipitous entry onto the international stage, Aperture has published Illuminance, the first volume of Kawauchi’s work to be published outside of Japan.

Stranger Familiar Things

Não é por existir uma relação entre a história, ambiente, personagens, estilo ou mesmo banda sonora de uma série ou filme e outro ou outros mais antigos que essa série ou filme é pior ou melhor. Seja essa relação de precedência, continuação, remix, reboot, todas as formas de ligação de que vive hoje parte da indústria do entretenimento. É verdade para o audiovisual, a televisão, o cinema como é verdade para a música, por exemplo, onde essa tradição autorreferencial existe desde há séculos.

É claro que é discutível se a referência a um imaginário ou a imitação mais ou menos literal são feitas com objetivos sinceros de homenagem e reinvenção, objetivos que têm a ver com a criação, ou outros, eventualmente mais cínicos como os do sucesso comercial junto de uma determinada audiência e da geração a que pertence. Mesmo esta discussão está inquinada à partida. Estamos a falar de entretenimento. A criação aqui não existe sem a audiência.

"Stranger Things", série da Netflix, é construída em cima destes pressupostos mas goza da liberdade da plataforma para contar aquilo que tem para contar em oito episódios, cada um com menos de uma hora, sem intervalos publicitários, consumíveis de seguida. Convoca um sem número de referências identificáveis pela minha geração. Os 'Duffer Brothers' peretencem à mesma filiação de J.J. Abrams e Joss Whedon, herdeiros de Steven Spielberg e George Lucas, eles por sua vez herdeiros do cinema clássico de Hollywood e outras latitudes. E mais gente, sim, muita gente (David Lynch, John Carpenter, Chris Carter - não saía daqui...).

Uma última nota para o lado político, essencial nos dias que correm. Não é uma luta entre detentores de poder máximo, super-heróis que, por muito que se atormentem, destroem tudo à sua passagem e acabam sempre por confirmar um triunfo dos mais fortes em que os meros humanos não passam do ocasional 'love interest'. É um elogio da amizade, da rebeldia, de gente destruída e perturbada que luta ainda mais uma vez por aqueles de que gosta mesmo que o inimigo pareça por vezes imaginado. É uma história de caídos e rebeldes.

Um delicioso prazer para noites quentes. E abaixo algumas das referências (mild spoilers).

References to 70-80's movies in Stranger Things from Ulysse Thevenon on Vimeo.

--
This is a supercut of selected scenes from Netflix TV serie "Stranger" Things associated with scenes from 1970-1980's movies. Spot all the references of the producers of the series:


- The Goonies
- Alien
- E.T the Extra-Terrestrial
- Firestarter
- Poltergeist
- Close encounters of the third kind
- A nightmare on Elm Street
- Explorers
- The Shining
- Stand by me
- Carrie
- Commando

http://ulyssethevenon.com