Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

A Ópera de Oslo.

Estive em Oslo em 2007. É uma cidade pequena e agradável (pelo menos no final da Primavera) com mais imigrantes e sem abrigo do que eu esperava. Tirando isso, correspondeu na perfeição ao que eu esperava da Noruega, riqueza, higiene, cultura, fiordes, florestas e no meio disto tudo, a cidade. Impressionou-me, por exemplo, o número de teatros e livrarias e uma família brincando no jardim de sua casa às cinco da tarde, a curta distância de um grande parque e do centro da cidade.

A Ópera de Oslo, da responsabilidade do atelier Snohetta, ganhou o prémio Mies Van Der Rohe, um prémio bienal de arquitectura da responsabilidade da Fundação Mies Van Der Rohe de Barcelona e da União Europeia. Mais um prémio para um edifício que já acumulou alguns. São 60 mil euros a recompensar a excelência e inovação em termos conceptuais e de construção. Uma ninharia, ao lado dos 750 milhões que custou o edifício. Eu já tinha dito riqueza, não tinha?

Tudo isto está presente no edifício da ópera, dos materiais à monumentalidade, à interacção com os visitantes em várias escalas, à funcionalidade das diversas àreas, à implantação no terreno, a deslizar para dentro das águas geladas do Mar do Norte.

Pode ler-se mais sobre o assunto neste artigo, de onde tirei as admiráveis fotos aqui abaixo.