Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Parabéns.

Tudo indica que hoje, este blog faz dois anos. E o primeiro post foi este pormenor de um quadro do Rothko que, não sei porquê, me lembra o Verão que chega daqui a uns dias. Foi aliás este quadro que me inspirou dois parágrafos algures no "Em Silêncio, Amor":

 

É um apartamento minúsculo, em cada divisão só cabe uma coisa. Ali, quem entra, vê a cama a encher tudo menos o roupeiro, que enche o resto, mas fica escondido pela porta que abre, com o seu vidro fosco de ondas perfeitas. Andamos de lado entre a cama e o roupeiro, para a janela de água furtada, quase uma seteira. E vê o farol. E vê o Rothko, por cima da cabeceira da cama. “Red, Orange, Tan and Purple”. Parece uma praia, procurem. Deitados, tínhamos vista para uma praia. Pendurámos o quadro ao contrário, assim, ao vê-lo de baixo para cima, deitados, víamo-lo bem na mesma. Ninguém reparava, claro, só mais um Rothko. Ou um deserto, pode ser um deserto, se não imaginarem o mar.

 

O lugar quase não existe, tanta é a luz a desfazer-lhe os contornos, a memória. A do Sol e os seus reflexos, na areia, no mar, no sorriso de Elisa que se escapa à sombra da aba. Quando ela baixa a cabeça, a cara toda na sombra, quando levanta, a voz e o sorriso.