Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Em pezinhos de lã...

Foi um amor que veio devagar e discreto. Não se fez anunciar com trombetas de coincidência e risos partilhados e gostos em comum. Não chegou sem pedir licença, como alguns fazem nas canções, assolapados. Não como uma evidência é incontornável, mas como um furacão é incontornável. Este foi uma brisa apenas.

Veio em pezinhos de lã e deitou-se na cama sem fazer barulho e virou-se para este lado e beijou-me a mão. E eu percebi que chegara e voltei a dormir sem nada dizer.