Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Revista de imprensa.

Não sei se gosto mais desta bronca, que é naturalíssima quando se põe marcas para toda a família a patrocinar arte de vanguarda, ou deste texto do Onion, que é muito divertido.

Em relação ao primeiro tema, se é assim na Arte (com A grande, em que o artista, bom ou mau, assume essa posição e o grau de liberdade que com ela espera), imaginem no entretenimento, em que há marcas, que acham, elas próprias que são "conteúdos". O que só me pode levar de volta às palavras de David Simon, criador do "The Wire", sobre publicidade e televisão.

Em relação ao Tarantino, não retiro uma palavra do que disse em relação ao "Inglourious Basterds", apesar de já ontem alguém me ter dito "se não fosse dele, ninguém ligava ao filme". A questão é que se calhar só podia ser dele, mesmo, pavão inchado e verborreico que é. Vai na volta... é um artista.