Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Filmes vistos.

Assim de repente e sem nenhuma ordem em particular:

  • The Hurt Locker - Kathryn Bigelow no seu melhor. A apresentação da guerra "as is" é uma visão ingénua da coisa, mas o trabalho de realização, montagem e actores, a resistência à tentação fácil de cair no canône do herói ou da vítima, dá ao filme a sua força.
  • Away We Go - Talvez depois da violência moral de "Revolutionary Road", Sam Mendes precisasse do outro lado do sonho americano, de um lado para o outro no grande país, com amor como único alimento. O resultado é como alguns dos discos que gosto de ouvir por estes dias, "feel good folk" sem muita substância. Mas não são todos adoráveis?
  • District 9 - Tem doses suficientes de originalidade e um anti-herói com um belo percurso na narrativa. Mesmo no momento em que a coisa corre o risco de se transformar numa "americanada de acção", ficamos apenas à espera do próximo. Vai haver um próximo, não vai?
  • Os Homens que Odeiam As Mulheres - Sendo fã do livro, sou parcial. É uma adaptação pouco corajosa na transcrição das muitas centenas de páginas do primeiro livro para um ritmo cinematográfico que transmita a mesma intensidade. Seja como for, as ideias estão lá todas, as portas abertas para a sequência também, os actores são convincentes e soube-me bem, "ver" o que "li".
  • Antichrist - Lars Von Trier não hesita na sua brutalidade. Se o senhor não dominasse o cinema como domina, este seria um mau filme. Assim é só o limite da violência, da beleza, do sexo, do horror, do mal e das escassas hipóteses do bem. Há muito tempo que não hesitava em deixar um filme antes do fim, tal a coisa se torna. Mas sinto-me lavado por dentro por o ter aguentado todo. E agora vou ouvir aquela área de Handel e ter medo que o meu mundo comece a mexer-se a preto e branco e em câmara lenta.