Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Livros (e outras coisas) deste ano.

Gosto muito de listas mas mais de lê-las do que fazê-las. Quando me ponho a enumerar, alguma coisa me escapa sempre, escolhas injustas acabam feitas e no fim saio irritado e desiludido com o empreendimento. Quando é coisa de pôr por ordem de preferência ou limitar à dezena, então, é o cabo dos trabalhos.

Em relação a cinema, nem vou tentar. Vi filmes em festivais, no cinema, no Netflix, via Videoclube, em Blu-Ray, no ecrã da sala escura, no ecrã de um computador, no ecrã da televisão. E tentei não ver nada que detestasse particularmente. E alguns gostei realmente muito e até revi ou tenciono rever.

A televisão, não me posso esquecer de contar com a televisão!

Em relação a música, ouço-a de tantas maneiras diferentes que o registo é difícil: em CD, vinil, no Apple Music, Spotify, Soundcloud, Youtube e tudo o resto que me aparece à frente. Diz-me o Last FM (que apenas regista alguns e quando lhe apetece) que o álbum que mais ouvi foi a banda sonora do Nocturnal Animals, do Abel Korzeniowski, que o artista que mais ouvi foram os R.E.M. e que a faixa que mais ouvi foi 'Candy Says' dos The Velvet Underground. Mas diz-me também que ouvi 462 artistas diferentes, portanto vale o que vale, nesta época em que toda a música está disponível. Vá, arredondemos para 500.

Em relação a livros, o Goodreads tem-me ajudado a manter um registo mais ou menos fiel daquilo que começo e acabo, ainda por cima assim arrumadinho com bonecos e tudo. Ficam por registar os que apenas consulto, folheio, largo, distraído, os que compro e esperam o seu tempo que há de vir. Duas ou três notas: há banda desenhada extraordinária a ser publicada; há poesia extraordinária e, em alguns casos, fortemente política, a ser publicada, sobretudo em língua inglesa; li, aliás, quase só em inglês, um hábito já de alguns anos mas que este ano bateu mais forte porque precisava mais de pensar em inglês (os motivos para isso não vêm agora ao caso, talvez algum dia venham); não quer isto dizer que despreze a literatura lusófona ou de qualquer outro país; o ano ainda não acabou e é provável que esta lista esteja ainda incompleta.

O que mais quiserem saber, não hesitem em perguntar.

livros.png

P.S.: Faltam também aqui os livros de fotografia, uma meia dúzia este ano.