Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Zero

Música: Zero
Artista: Liniker
Produzido por Vulkania

 

BANDA: Liniker Barros (voz) / Guilherme Garboso (bateria) / Márcio Bortoloti (trompete) / Rafael Barone (baixo) / Willian Zaharanszki (guitarra) / Bárbara Rosa (backing vocal) / Ekena Monteiro (backing vocal) / Renata Santos (backing vocal)

PRODUÇÃO COLABORATIVA: Paulo Costa / Leila Penteado / Dré Guines | GOMAinc. / Nivaldo Dakuzaku / Breno Rodrigues / Dado Marcondes / Paulo Delfini / Pericles Zuanon / Marcia Bolsoni / Amanda Zaharanszki / Rodolfo Zaharanszky

As Caravanas

Violão: Chico Buarque

Arranjo e guitarra: Luiz Cláudio Ramos

Beat-box: Rafael Mike

Baixo: Jorge Helder

Piano e teclados: João Rebouças

Bateria: Jurim Moreira

Percussão: Sidinho Moreira

Congas: Ian Moreira

 

É um dia de real grandeza, tudo azul
Um mar turquesa à la Istambul enchendo os olhos
E um sol de torrar os miolos
Quando pinta em Copacabana
A caravana do Arará - do Caxangá, da Chatuba

 

A caravana do Irajá, o comboio da Penha
Não há barreira que retenha esses estranhos
Suburbanos tipo muçulmanos do Jacarezinho
A caminho do Jardim de Alá - é o bicho, é o buchicho, é a charanga

 

Diz que malocam seus facões e adagas
Em sungas estufadas e calções disformes
Diz que eles têm picas enormes
E seus sacos são granadas
Lá das quebradas da Maré

 

Com negros torsos nus deixam em polvorosa
A gente ordeira e virtuosa que apela
Pra polícia despachar de volta
O populacho pra favela
Ou pra Benguela, ou pra Guiné

 

Sol, a culpa deve ser do sol
Que bate na moleira, o sol
Que estoura as veias, o suor
Que embaça os olhos e a razão
E essa zoeira dentro da prisão
Crioulos empilhados no porão
De caravelas no alto mar

 

Tem que bater, tem que matar, engrossa a gritaria
Filha do medo, a raiva é mãe da covardia
Ou doido sou eu que escuto vozes
Não há gente tão insana
Nem caravana do Arará

Joga pedra na Geni!

Vídeo oficial da faixa "Geni e o Zepelim" (Ao Vivo), do DVD "Na Carreira".

"O artista vasculhou os mais de 400 títulos de sua obra, tão vasta em gêneros quanto em assuntos, para chegar à lista final de 30 músicas. O resultado é um show pautado por canções de todas as fases de sua carreira, do início dos anos 60 até hoje, amarradas entre si por afinidades musicais ou temáticas."

 

De tudo que é nego torto
Do mangue e do cais do porto
Ela já foi namorada
O seu corpo é dos errantes
Dos cegos, dos retirantes
É de quem não tem mais nada

 

Dá-se assim desde menina
Na garagem, na cantina
Atrás do tanque, no mato
É a rainha dos detentos
Das loucas, dos lazarentos
Dos moleques do internato

 

E também vai amiúde
Com os velhinhos sem saúde
E as viúvas sem porvir
Ela é um poço de bondade
E é por isso que a cidade
Vive sempre a repetir

 

Joga pedra na Geni!
Joga pedra na Geni!
Ela é feita pra apanhar!
Ela é boa de cuspir!
Ela dá pra qualquer um!
Maldita Geni!

 

Um dia surgiu, brilhante
Entre as nuvens, flutuante
Um enorme zepelim
Pairou sobre os edifícios
Abriu dois mil orifícios
Com dois mil canhões assim

 

A cidade apavorada
Se quedou paralisada
Pronta pra virar geleia
Mas do zepelim gigante
Desceu o seu comandante
Dizendo: "Mudei de ideia!"

 

Quando vi nesta cidade
Tanto horror e iniquidade
Resolvi tudo explodir
Mas posso evitar o drama
Se aquela formosa dama
Esta noite me servir

 

Essa dama era Geni!
Mas não pode ser Geni!
Ela é feita pra apanhar
Ela é boa de cuspir
Ela dá pra qualquer um
Maldita Geni!

 

Mas de fato, logo ela
Tão coitada e tão singela
Cativara o forasteiro
O guerreiro tão vistoso
Tão temido e poderoso
Era dela, prisioneiro

 

Acontece que a donzela
(E isso era segredo dela)
Também tinha seus caprichos
E ao deitar com homem tão nobre
Tão cheirando a brilho e a cobre
Preferia amar com os bichos

 

Ao ouvir tal heresia
A cidade em romaria
Foi beijar a sua mão
O prefeito de joelhos
O bispo de olhos vermelhos
E o banqueiro com um milhão

 

Vai com ele, vai, Geni!
Vai com ele, vai, Geni!
Você pode nos salvar
Você vai nos redimir
Você dá pra qualquer um
Bendita Geni!

 

Foram tantos os pedidos
Tão sinceros, tão sentidos
Que ela dominou seu asco
Nessa noite lancinante
Entregou-se a tal amante
Como quem dá-se ao carrasco

 

Ele fez tanta sujeira
Lambuzou-se a noite inteira
Até ficar saciado
E nem bem amanhecia
Partiu numa nuvem fria
Com seu zepelim prateado

 

Num suspiro aliviado
Ela se virou de lado
E tentou até sorrir
Mas logo raiou o dia
E a cidade em cantoria
Não deixou ela dormir

 

Joga pedra na Geni!
Joga bosta na Geni!
Ela é feita pra apanhar!
Ela é boa de cuspir!
Ela dá pra qualquer um!
Maldita Geni!

 

Joga pedra na Geni!
Joga bosta na Geni!
Ela é feita pra apanhar!
Ela é boa de cuspir!
Ela dá pra qualquer um!
Maldita Geni!

Tua Cantiga

"Tua Cantiga", novo single de Chico Buarque, está disponível em todas as plataformas digitais. A canção, que integra o álbum "Caravanas", tem letra de Chico e melodia do pianista Cristóvão Bastos, seu parceiro na hoje clássica "Todo o Sentimento", de 1987.

 

Com letra de Chico e melodia do pianista Cristóvão Bastos, a canção ganhou videoclipe inédito de Bruno Tinoco que revela o clima intimista em que o disco foi gravado, nos estúdios da Biscoito Fino.

 

Ficha Técnica

Produção: Vudoo Filmes
Produção Executiva: André Wainer e Luiz Porto
Direção: Bruno Tinoco
Direção de Fotografia: Rodrigo Assad
Operador de Câmera e Ronin: Micael Hocherman
Produtor: Thiago Galdino
Assistente de Câmera: Daniel Borges
Edição: André Wainer
Colorista: Glauco Guicon

 

Arranjo e piano: Cristovão Bastos
Baixo: Jorge Helder
Bateria e percussão: Jurim Moreira

 

Produção: Vinícius França

T.G.I.F.

Erasmo Carlos - Vida Antiga

 

Canadian quartet BadBadNotGood take on creating the ultimate “late night” selection of tracks from their record collections.

Tracklist:
01. Boards Of Canada - Olson
02. Erasmo Carlos - Vida Antiga
03. Gene Williams - Don’t Let Your Love Fade Away
04. The Chosen Few – People Make The World Go Round
05. Esther Phillips - Home Is Where the Hatred Is
06. Delegation – Oh Honey
07. Velly Joonas - Käes on aeg
08. Stereolab – The Flower Called Nowhere
09. Kiki Gyan – Disco Dancer
10. Admas – Anchi Bale Game
11. Francis Bebey – Sanza Nocturne
12. Thundercat - For Love I Come
13. River Tiber Ft. Daniel Caesar – West
14. Charlotte Day Wilson – Work
15. The Beach Boys - Don't Talk (Put Your Head On My Shoulder)
16. Donnie & Joe Emerson – Baby
17. Les Prospection – Lido
18. Grady Tate – And I Love Her
19. BadBadNotGood – To You (Exclusive Andy Shauf cover version)
20. Steve Kuhn – The Meaning Of Love
21. Lydia Lunch - You, Me and Jim Beam (Exclusive Spoken Word Piece)

O Velho e O Mar

Direção: Fabian Cantieri
Ideia original: Fabian Cantieri, Rubel, Maíra Motta
Fotografia: Tiago Rios
Fotografia adicional: Guilherme Tostes e Fabian Cantieri
Produção: Tainá Vital
Arte e Figurino: Rocio Moure
Montagem: Fabian Cantieri
Correção de cor: Guilherme Tostes
Lettering: Ana Carolina Bolshaw e Pablo Meijueiro

Caeu

Música: Caeu
Artista: Liniker
Produzido por Vulkania

BANDA:
Liniker Barros (voz)
Guilherme Garboso (bateria)
Márcio Bortoloti (trompete)
Rafael Barone (baixo)
Willian Zaharanszki (guitarra)
Bárbara Rosa (backing vocal)
Ekena Monteiro (backing vocal)
Renata Santos (backing vocal)

PRODUÇÃO COLABORATIVA:
Paulo Costa
Leila Penteado 
Dré Guines | GOMAinc.
Nivaldo Dakuzaku
Breno Rodrigues
Dado Marcondes
Paulo Delfini
Pericles Zuanon
Marcia Bolsoni
Amanda Zaharanszki
Rodolfo Zaharanszky

Quando Bate Aquela Saudade

Direção: Rubel
Produção: Danielle Villanova
Roteiro: Maíra Motta, Pedro Riguetti e Rubel 
Fotografia: Tiago Rios e Guilherme Tostes
Arte: Luisa Pollo
Figurino: Anouk Zee e Victoria Reis
Produção de Elenco e Figuração: Cristiana Carvalho
Edição: João Pedro Diaz e Rubel 
Correção de Cor: Guilherme Tostes 

Dedicado à memória de Theo Back