Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Indie

Começa hoje e acaba dia 14, o IndieLisboa 2017. São cerca de trezentos filmes para ver (mais filme, menos filme) e eu vou ver uma dúzia (mais filme, menos filme). Dois deles ficam aqui abaixo, abertura e encerramento.

COLO Trailer #1 - Film by TERESA VILLAVERDE from ALCE FILMES on Vimeo.

 

In his new film, director Raoul Peck envisions the book James Baldwin never finished - a radical narration about race in America, using the writer's original words. He draws upon James Baldwin's notes on the lives and assassinations of Medgar Evers, Malcolm X, and Martin Luther King Jr. to explore and bring a fresh and radical perspective to the current racial narrative in America.

"One of the best movies you are likely to see this year."
- Manohla Dargis, The New York Times

A partir de hoje, IndieLisboa

Mais um ano, mais um IndieLisboa, mais uma dúzia de filmes que me vão ocupar os meus dias, entre longas (incluindo dois documentários sobre música feita por portugueses e as 'Cartas da Guerra') e curtas (incluindo o premiado 'Balada de um Batráquio' e duas selecionadas para a Semana da Crítica em Cannes). Começa hoje e ficam abaixo vídeos apresentando algumas das várias secções do festival.

Tréfaut outra vez. Belo filme.

Alentejo, Alentejo (trailer) from Faux on Vimeo.

Alentejo, Sul de Portugal. Dezenas de grupos amadores reúnem-se regularmente para ensaiar antigos cantos polifónicos e para improvisar modas sobre o tempo presente. Isto é o «cante».
Nascido nas tabernas e nos campos, entre camponeses e mineiros, o cante transmitiu-se ao longo de várias gerações. Nas últimas décadas, com a diáspora alentejana, novos grupos apareceram na periferia de Lisboa e em diversos países de emigração – provando que o cante é um traço identitário dos alentejanos onde quer que estejam.
Este filme é uma viagem musical ao Portugal contemporâneo, a um modo de expressão único e à paixão dos seus intérpretes.

A journey into the Alentejo hot countryside region (South of Portugal) discovering Cante music and the life of the a capella polyphonic choirs, originally formed by agricultural workers and miners who seem to express the deep voice of the Earth.

ANTE-ESTREIA 24 DE ABRIL 2014

Começa hoje e é a não perder. Mesmo.

São dúzias de filmes e eu vou só a uma dúzia de sessões. Duas delas são de curtas portanto mais que uma dúzia de filmes. Num momento em que a distribuição tradicional perde espetadores, em que exibidores e distribuidores esperneiam e lutam pela sobrevivência num mercado difícil, os festivais ocupam um espaço cada vez mais importante para quem quer descobrir novo cinema. E entre os festivais, o IndieLisboa tem um dos lugares da frente (além de uma comunicação sempre fantástica). A festa do cinema numa cidade em festa de liberdade, a partir de hoje.

 

Shirley - Visions of Reality.

Esteve no Indie Lisboa '13 e escapou-me. Que me sirva de aviso para este ano. Também há um livro, se alguma alma caridosa mo quiser oferecer.

13 of Edward Hopper's paintings are brought alive by the film, telling the story of a woman, whose thoughts, emotions and contemplations lets us observe an era in American history.
Shirley is a woman in America in the 1930s, '40s, '50s, and early '60s.

A woman who would like to influence the course of history with her professional and socio-political involvement. A woman who does not accept the reality of the Depression years, WWII, the McCarthy era, race conflicts and civil rights campaigns as given but rather as generated and adjustable. A woman whose work as an actress has familiarised her with the staging of reality, the questioning and shaping of it; an actress who doesn't identify her purpose and future with that of solo success or stardom but who strives to give social potency to theatre as part of a collective. A woman who cannot identify with the traditional role model of a wife yet longs to have a life partner. A woman who does not compromise in moments of professional crisis and is not afraid to take on menial jobs to secure her livelihood. A woman who in a moment of private crisis decides to stick with her partner and puts her own professional interest on the back burner. A woman who is infuriated by political repression yet not driven to despair, and who has nothing but disdain for betrayal.
Shirley, an attractive, charismatic, committed, emancipated woman.