Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Sábado, depois do lançamento, pelas 23h na ZDB

Rafael Toral (PT) | Oliver Hill + Harry Astras (UK/GR)| Julianna Barwick (US)| Tiago Sousa (PT)
Noite Inversion na ZDB, em colaboração com a artista francesa Sandra Reignoux.

Rafael Toral Apresenta Space Study 1.4.

Estreia em trio da nova versão de Space Study 1.4., parte integrante do projecto Space Program de Rafael Toral sobre a perfomance em instrumentos electrónicos. Central em toda a actividade de concertos do Space Program, Space Studies é uma série de peças com uma estrutura formal aberta e em que são aplicados modos de escuta a uma articulação em tempo real de silêncio e som. Com uma sensibilidade jazz como ponto de partida e uma matriz disciplinada de possibilidades de decisão, Rafael Toral tem ensaiado uma abordagem à música centrada num impulso universal para a produção de som, pré-histórico, pré-estético e consciente de que a música e a linguagem terão uma raiz comum.

Formação:

Rute Praça – violoncelo
César Burago – percussão
Rafael Toral - ondas sinusoidais com luvas de controlo

Rute Praça é uma violoncelista com formação clássica, tendo colaborado com Rhys Chatham, Sei Miguel e Vítor Rua, entre outros. Após um longo período de pesquisa, consegue uma abordagem totalmente renovada ao instrumento e ao som, ultrapassando definitivamente a sua antiga formação.

César Burago Percussionista angolano, dedica-se inteiramente às músicas do jazz, pois vê nelas o espírito e a técnica indissociáveis. Presença regular nas orquestrações de Sei Miguel, tem dimensionado com o trompetista, desde 1997, um plano de possibilidades e impossibilidades métricas, ambas expressas em trabalhos onde a percussão (principalmente a pequena percussão) ganha um enigmático valor melódico.

A partir de textos dos artistas:

Oliver Hill + Harry Astras
Oliver Hill (do duo noiseTerminal Outputs) e Harry Astras (dos Family Battle Snake, colectivo free-form de composição variável que, para além de Astras, conta com Bill Kouligas e Valerio Cosi como principais agitadores) apresentam pela primeira vez em Portugal as densas ambiências sónicas resultantes de uma colaboração instintiva, desorbitada, povoada de referências míticas numa escala interestelar.

Julianna Barwick
Ainda ninguém conhece a norte-americana Julianna Barwick, mas isso vai começar a mudar muito rapidamente. Ao mesmo tempo próxima dos sonhos ácidos dos Animal Collective e das ondas de som dos My Bloody Valentine, a sua música revela um primitivismo sensorial desarmante, envolvido numa vertigem de loops vocais. Disponibilizou recentemente em edição de autor o seu primeiro album, “Sanguinaire”.

Tiago Sousa
Primeira actuação de Tiago Sousa em nome próprio na ZDB. A solo, as composições para piano do músico barreirense, que também integra os colectivos Goodbye Toulouse e Jesus, the Misunderstood, são por vezes reminiscentes da peça minimalista de Robert Wyatt para o seminal “Music For Airports” de Brian Eno. Neste âmbito, lançou "Crepúsculo", em 2006, e, já este ano, "Noite/Nuit" (em parceira com a artista francesa SRX), ambos através da editora independente Merzbau, pela qual é responsável.

Entrada: 7,5€

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.