Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Gravidade.

De vez em quando há filmes que sintetizam tudo o que Hollywood pode dar ao cinema. 'Gravidade' de Alfonso Cuarón, que estreia amanhã em Portugal, é um desses filmes. Passo a enumerar: as estrelas certas a desempenhar os papéis certos; um argumento bem construído capaz de sustentar a adrenalina; uns toques de sentimentalidade para quem se sentir a isso inclinado; um uso inteligente da tecnologia que justifica a ida à sala em desprimor de ecrãs mais pequenos; uma banda sonora entre o sinfónico e o operático; uma montagem irrepreensível e uma inteligência e sensibilidade visuais que embrulham o conjunto com brilhantismo.

Apesar dos esforços da indústria, parece haver cada vez menos filmes americanos que justifiquem a dimensão da sala escura e o custo acrescido dos bilhetes. Como dizia ontem o João Lopes na apresentação do filme, Gravidade é daqueles filmes que nos lembram de novo que vamos ao cinema para ver coisas que não conseguimos ver em mais sítio nenhum.