Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Is this a fucking feel good nostalgia driven requel*?

First there was an opportunity......then there was a betrayal.

Twenty years have gone by.
Much has changed but just as much remains the same.
Mark Renton (Ewan McGregor) returns to the only place he can ever call home.

They are waiting for him: Spud (Ewen Bremner), Sick Boy (Jonny Lee Miller), and Begbie (Robert Carlyle).

Other old friends are waiting too: sorrow, loss, joy, vengeance, hatred, friendship, love, longing, fear, regret, diamorphine, self-destruction and mortal danger, they are all lined up to welcome him, ready to join the dance.

Director Danny Boyle reunites the original cast: Ewan McGregor, Ewen Bremner, Jonny Lee Miller and Robert Carlyle

 

* When a remake contains a lot of new material; A remake that also doubles as a sequel.

Dos críticos.

Os críticos como espectadores particularmente informados ou educados sobre a disciplina que criticam, sempre me pareceram úteis e interessantes, quanto mais não seja, como veículos de aprendizagem. O problema é quando os críticos se ensimesmam num ponto de vista que só admite um determinado tipo de obra e insistem em criticar as restantes desse lugar onde elas nunca necessariamente chegam.

O Luís Miguel Oliveira critica o "Slumdog Millionaire", comparando-o, entre outros, com Renoir, Rossellini, Pedro Costa. Exigir do filme de Danny Boyle que seja um olhar político sobre a Índia é como exigir que os do Pedro Costa sejam entretenimento puro, ou do "Veneno Cura" que seja uma comédia romântica. Sim, ele também fala do Wes Anderson, mas o "Darjeeling Limited" é muito mais postal-turístico-para-turista-alternativo do que este.

Creio aliás, que o maior equívoco sobre o grande vencedor dos BAFTA é achar que é um filme sobre a Índia. A Índia, tal como os "formatos" que o Luís despreza, são só um pretexto, um arquétipo para contar uma história de amor numa base que até ele perceba. Ricos e pobres, perguntas e prémios, irmãos, viagens e marginais, um amor que resiste a tudo. Até podia ser nos bairros das barracas portugueses e é um prazer de cinema.

Slumdog Millionaire

A data prevista para a estreia em Portugal é 19 de Fevereiro, mas cortesia da award season, já vi "Slumdog Millionaire" de Danny Boyle. Baseado no livro de contos "Q & A" de Vikas Swarup, o filme é um conto de fadas, uma história de amor, uma saga familiar, uma declaração política, bom... é um filme, antes de mais.

Eu nunca fui à India. Ler Salman Rushdie, Anita Desai, Kiran Desai, Arundhati Roy, Jhumpa Lahiri deu-me apenas um conhecimento infinitesimal do que é o sub-continente, a sua cultura e aquilo que, no filme é mais forte, o inundar dos sentidos.

Diz o autor do argumento, Simon Beaufoy, que a experiência da Índia o libertou para uma escrita operática, uma sensação do excesso, na minha opinião, perfeitamente adaptada ao estilo do realizador.

O cruzamento com uma referência pop global, como é o "Quem Quer Ser Mlionário?", a utilização da própria mecânica do concurso para fazer avançar a acção, a gestão dos tempos, dos afectos, das relações faz deste um filme quase perfeito.

Claro que não há filmes perfeitos e será fácil encontrar motivos para não gostar, para comparar, para encolher os ombros, para quase tudo, na verdade, mas fica aqui, como primeiro conselho cinematográfico do ano.

A banda sonora é também altamente aconselhável, com a participação de M.I.A. e número de dança à Bollywood a acabar e tudo.