Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Kopparberg

No livro que ando a escrever, vai haver um momento em Londres, mais precisamente no The Social, onde alguém vai beber Kopparberg, uma cidra de pera importada da Suécia. Não tem quase importância nenhuma no livro, é uma espécie de cameo autobiográfico, culpa do João. Lá como cá usa-se o rock mais alternativo mas menos agressivo para se vender álcool. Eis os The Joy Formidable's com The Greatest Light the Greatest Shade filmado por Daniel Wolfe no Notting Hill Arts Club:

Micro História - Silent Rave

No primeiro momento acho só que devemos ter todos um ar ridículo, vistos de fora: pouco mais de uma centena de pessoas em silêncio, de auscultadores nos ouvidos (os mais variados tamanhos e formatos), ali no meio de Union Square, cada um abanando o corpo a um ritmo diferente e pessoal.

Eu ouço Tom Waits. É secreto e solitário. Em que mais alguma rave poderia eu ouvir Tom Waits? Ainda por cima é Primavera, quase Verão e está toda a gente com pouca roupa já, ombros à mostra, decotes à mostra, braços a abanar, pernas em movimento.

Depois percebo o prazer de estarmos cada um a ouvir a sua música. Deixo de achar estranho não estar a ouvir música para dançar, nem música electrónica, nem nada editado no último ano ou mesmo ainda por editar e só disponível na Internet.

Mudei-me para esta cidade há quanto tempo? Não fez um mês ainda e eis-me em Union Square com um grupo de desconhecidos (são cada vez mais) em silêncio mas acompanhado, ouvindo a música que me apetece.

Reparo por fim no casal que se beija.