Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Intimate Letters

Leoš JANÁČEK (1854-1928)
String Quartet No. 2, "Intimate Letters
I. Andante
II. Adagio
III. Moderato
IV. Allegro

Alexi Kenney, violin 1 (ChamberFest Cleveland Young Artist)
David Bowlin, violin 2
Dimitri Murrath, viola
Julie Albers, cello

Performed on June 24, 2016
Mixon Hall, Cleveland Institute of Music
Cleveland, Ohio
ChamberFest Season 5

http://chamberfestcleveland.com

Video Production:
Erica Brenner Productions, LLC
Cameras: Mathias Reed, Erica Brenner
Editing: Erica Brenner
Audio: Ian Dobie - Dobie Digital Productions
http://ericabrennerproductions.com

Maravilhas de 2018

Este ano não há Top 10s para ninguém. Este ano há uma lista alfabética de coisas que me maravilharam ao longo deste ano. Livros, discos, filmes, séries, concertos. Lembro-me destas, o que já quer dizer alguma coisa. Outras esqueci, a memória falha-me por vezes. Por ordem alfabética de autor:

  • Alfonso Cuarón - Roma - Se a memória fosse escrita, encenada, representada e filmada com perfeição virtuosística, era este filme. Um tratado sobre a arte do cinema. Com defeitos, claro, criticável, claro, mas isso haja liberdade para fazer sempre.
  • Bruno Nogueira (com Marco Martins e Ricardo Adolfo) - Sara - A melhor coisa que já se fez na ficção televisiva em Portugal. E ainda se consegue ver, creio. Do princípio ao fim, por favor.
  • Deborah Levy - The Cost of Living - Uma das jóias do ano, o confessional e diarístico escrito como deve ser. Já tinha gostado do "Hot Milk" e vou ler mais, estou certo.
  • Hanna Gadsby - Nanette - Sobre o humor, a gargalhada, o trauma, a liberdade e muitas outras coisas em que vale a pena pensar e sentir. Um tema para ler sempre mais.
  • Jon McGregor - Reservoir 13 - Pegar num género e ele ser outro género e deixar passar os anos anos e um livro ser isto.
  • Kore-Eda Hirokazu - Shoplifters - Vamos jogar um jogo de escondidas e descoberta com um amor profundo às nossas personagens. Foi merecida Palma de Ouro.
  • Laurie Anderson - Landfall (com Kronos Quartet)/ All The Things That I Lost In The Flood / ao vivo no Nimas - Um disco, um livro, um espetáculo, a perda, a poesia. Damn, girl.
  • LCD Soundsystem - Ao vivo no Coliseu dos Recreios - Transpirar a sério pelos melhores motivos com todos os meus amigos, mesmo os que não estavam lá.
  • Low - Double Negative - Quase sem querer, um disco que se entranhou. Fiquei surpreendido ao vê-lo em tantas listas de fim de ano, mas isso não me impediu de ouvir de novo.
  • Michael Ondaatje - Warlight - Volto sempre a ele e ele nunca me desilude, na intersecção entre história, indivíduo e poesia onde um dos corações da literatura vive.
  • Nick Cave - Ao vivo no Primavera Sound Porto - O momento, o local, o tempo, os artistas e, é claro, a música, no festival que prefiro, por estes dias.
  • Nick Drnaso - Sabrina - Tão longe chegou a chamada "novela gráfica". Nenhum preconceito deve impedir a leitura deste livro, num estilo tão limpo quanto os temas são graves, um relato minimal de um país caótico.
  • Paul Thomas Anderson / Johnny Greenwood - Phantom Thread - Les beaux esprits se rencontrent. Já tinha acontecido antes mas de novo aqui um filme, uma banda sonora, uma elegância que podemos destruir como nos apetecer.
  • Phoebe Waller-Bridge - Killing Eve - Espias, assassinas, mulheres. Um dos géneros mais antigos do audiovisual pode sempre ser baralhado sobre clichés e tornar-se um prazer.
  • Rosalía - El Mal Querer - Há gente que explica muito melhor que eu como este disco é musicalmente inteligente e viciante.
  • Ryan McGinley - Mirror, Mirror - Sempre a pensar, a sentir, a fotografar, rodeado de amigos e imagens, o Ryan mostra-nos o caminho.
  • Thom Yorke - Suspiria OST - Lá podia o Thom ficar atrás do Johnny. vivemos sobre os ombros de gigantes.
  • Thomas Adès - Concerto de piano com música de Leoš Janáček - Há sítios onde se volta, se é feliz e se descobre coisas que não se conhecia. A Gulbenkian é um deles.

Leoš Janáček

Leoš Janáček: On an Overgrown Path - Series 1 / Misuzu Tanaka, piano

Live from Britton Recital Hall. / Piano: The Steinway & Sons Model D

 

0:18 Naše večery - Our Evenings
3:42 Lístek odvanutý - Blown Away Leaf
6:01 Pojďte s námi! - Come With Us!
7:10 Frýdecká panna Maria - The Madonna of Frydek
10:26 Štěbetaly jak laštovičky - They Chattered Like Swallows
12:23 Nelze domluvit! - Words Fail!
14:20 Dobrou noc! - Good Night!
17:26 Tak neskonale úzko - Unutterable Anguish
20:01 V pláči - In Tears
22:37 Sýček neodletěl! - The Barn Owl Has Not Flown Away!

 

The first five pieces of the two sets that Janáček called On an Overgrown Path were composed around 1900, for harmonium. The first set was completed as ten piano pieces in 1908, and Janáček then gave them their present titles. The overall title refers to a Moravian wedding song in which the bride laments that "the path to my mother's has become overgrown with clover", and the pieces, as Janáček wrote in 1908 in an explanatory letter to the musicologist Jan Branberger who was interested in publishing them, "contain distant reminiscences. Those reminiscences are so dear to me that I do not think they will ever vanish." Some of these memories are apparently happy, others intensely sad. In 1903 there occurred the central tragedy of Janáček's life: the death of his daughter Olga from typhoid fever at the age of twenty-one. The last three pieces of Set 1 certainly refer to Olga's death: in Czech folklore the owl, sýcek, is a bird of ill-omen (the English title in the published edition is 'The barn owl has not flown away' but Janáček gives a very accurate representation of the tawny owl's cry, whereas the barn owl screeches). © David Matthews

Sir András Schiff Masterclass

Ontem, Sir András Schiff deu um concerto que a mim, leigo, me pareceu notável, na Gulbenkian. Na primeira parte, misturou Bach e Bartók, na segunda, uma sonata de Janáček e outra de Schumann. Não houve Beethoven, nem eu sei tocar piano, mas esta masterclass no Royal College of Music parece-me notável. São três horas de boa música e aprendizagem.

On Sunday 10 March, 2013, the Royal College of Music was delighted to welcome Andras Schiff for a masterclass with leading RCM pianists.

 

Pavel Kolesnikov - Beethoven Sonata in C sharp minor 'Moonlight'

Kausikan Rajeshkumar - Beethoven Sonata in E flat op 31 no 3 (1:01:31)

Anna Fedorova - Beethoven Sonata in F minor op 57 'Appassionata' (2:10:09)

 

The event formed part of the RCM's ever-popular annual keyboard festival, which in 2013 featured music from around the world.

www.rcm.ac.uk/keyboard