Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

luís soares

Blog do escritor Luís Soares

Estreia hoje. Vão ver.

Estreia hoje um grande, grande documentário, mais um de Sérgio Tréfaut. Está a ser uma época interessante para o cinema português. Infelizmente, a capacidade de encontrar formas de financiamento inteligentes, locais, crowdsourced, em co-produção, coincide também com a falta de investimento público na área. Imaginemos como seria se existisse de facto um pensamento com pés e cabeça sobre a maneira de financiar o cinema português, a sua escrita, produção e a sua promoção. Mas isso são contas de outro rosário.

 

 

Alentejo, Alentejo (trailer) from Faux on Vimeo.

Alentejo, Sul de Portugal. Dezenas de grupos amadores reúnem-se regularmente para ensaiar antigos cantos polifónicos e para improvisar modas sobre o tempo presente. Isto é o «cante».
Nascido nas tabernas e nos campos, entre camponeses e mineiros, o cante transmitiu-se ao longo de várias gerações. Nas últimas décadas, com a diáspora alentejana, novos grupos apareceram na periferia de Lisboa e em diversos países de emigração – provando que o cante é um traço identitário dos alentejanos onde quer que estejam.
Este filme é uma viagem musical ao Portugal contemporâneo, a um modo de expressão único e à paixão dos seus intérpretes.

A journey into the Alentejo hot countryside region (South of Portugal) discovering Cante music and the life of the a capella polyphonic choirs, originally formed by agricultural workers and miners who seem to express the deep voice of the Earth.

Tréfaut outra vez. Belo filme.

Alentejo, Alentejo (trailer) from Faux on Vimeo.

Alentejo, Sul de Portugal. Dezenas de grupos amadores reúnem-se regularmente para ensaiar antigos cantos polifónicos e para improvisar modas sobre o tempo presente. Isto é o «cante».
Nascido nas tabernas e nos campos, entre camponeses e mineiros, o cante transmitiu-se ao longo de várias gerações. Nas últimas décadas, com a diáspora alentejana, novos grupos apareceram na periferia de Lisboa e em diversos países de emigração – provando que o cante é um traço identitário dos alentejanos onde quer que estejam.
Este filme é uma viagem musical ao Portugal contemporâneo, a um modo de expressão único e à paixão dos seus intérpretes.

A journey into the Alentejo hot countryside region (South of Portugal) discovering Cante music and the life of the a capella polyphonic choirs, originally formed by agricultural workers and miners who seem to express the deep voice of the Earth.

ANTE-ESTREIA 24 DE ABRIL 2014